Colunista Moacir Saraiva: Aos Pais

Muitos pais ficam agoniados quando chegam as férias escolares, uma vez que alguns não sabem como preencher o tempo dos filhos. A maioria opta por deixá-los entregues à televisão, ou mergulhando nas redes sociais, pois  a criança fica quieta e não incomoda ninguém, tampouco traz dor de cabeça.

Um fato que constata esta inquietação dos pais, certa feita, eu estava em uma fila de um caixa de supermercado e, na minha frente, havia um casal,  o pai esbravejando com a mãe, a respeito das despesas com mercado que aumentara muito e ele atribuía este aumento ao fato de os três filhos estarem de férias. Ele falando com raiva, e nas entrelinhas aparecia que desejava imensamente que os filhos não tivessem férias, assim, as despesas seriam menores.

O fenômeno das férias é algo a ser enfrentado a fim de tornar este período proveitoso tanto para aqueles que estão de férias como para os familiares. Fórmulas não há, pois quem tem filhos tem de encontrar caminhos observando-se uma série de variáveis do casal e de toda estrutura familiar.

Um amigo, ao se deparar com esta realidade, não se apertou, com dois filhos de 9 e 10 anos, conversou com eles, lhes  fez uma proposta e os meninos acharam a novidade não só fantástica como ficaram entusiasmados.

Os pais têm formação técnica muito boa e melhor ainda o escopo humano bem sólido e, com suas vidas,  procuram semear no coração e na cabeça dos meninos, amor, justiça e respeito. Dedicando-lhes tempo, com muita conversa, fazendo refeições juntos, rezando juntos e colocando sobre os ombros dos meninos responsabilidades, respeitando a idade deles.

Os pais, após os bons resultados do ano escolar, celebraram a vitória deles, tanto dos meninos, claro, como também, dos pais, pois o sucesso dos filhos, muitas vezes, se deve ao apoio de quem cuida.

Os genitores conversaram com os meninos, dando-lhes a seguinte missão para as férias:

– Vamos dispensar o rapaz que lava o carro e vocês farão isso durante as férias.

Embutiram logo a segunda missão:

– Estamos construindo e cada um será ajudante de pedreiro.

Os meninos arregalaram os olhos e gritaram, ao mesmo tempo:

–  Ôba.

A alegria aparecia nos olhos, no grito que deram, parecia que se lhes tinha apresentado o doce mais gostoso da face da terra.

Como um desafio, como uma atividade diferente faz bem ao ser humano e a uma criança mais ainda, lhe ensina a enfrentar desafios, lhe educa a conviver com o novo, aguçando-lhe a curiosidade que é muito presente nas crianças. Ficou estabelecido que os garotos receberão pagamento pelas duas propostas feitas pelos pais.

Como estas férias vão ser marcantes para os dois garotos. Marcantes porque além de não ficarem ociosos, na frente de uma televisão ou, apenas, navegando nas redes sociais, eles enfrentarão desafios e darão mais valor ao dinheiro.

Para educar não há receitas, cada família deve encontrar as alternativas a fim de fazer crescer a criança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *