Greve dos caminhoneiros e os impactos em serviços na Bahia

Por Joberth Melo | Nas Malhas da Lei

A paralisação dos caminhoneiros já está no quinto dia e impactos começam a aparecer em serviços. Como cerca de 70% das mercadorias são transportadas pelas rodovias, já se constata a falta de alimentos, combustíveis, gás de cozinha e gás oxigênio em hospitais na Bahia.

Em Salvador e Região Metropolitana já não se encontram uvas, bananas e batatas. As mercadorias estão presas nas rodovias estaduais e federais por causa do protesto. Com a falta, o valor da batata já aumentou em 833% em Simões Filho.

Em Salvador, fila de veículos em frente a postos foram observadas desde a quinta-feira (24). A quantidade de carros ocasionaram engarrafamentos em vários pontos da cidade.

Na manhã desta sexta-feira (25), um engarrafamento foi formado na Avenida São Rafael por causa de uma fila em frente ao Posto Menor Preço. Também foi observada uma quantidade de veículos para abastecer em um posto próximo ao ponto do Extra, na Paralela. Carros chegavam ao terminal do CAB do Metrô.

A falta de combustível também levou a redução da frota de ônibus em Salvador. Um plano de contingência foi montado e determinou que 80% da frota circulasse nesta sexta. Nos próximos dias, a frota será de 50% nos horários de maior movimentação e 30% nos outros horários.

Na Bahia, 95% dos postos estão sem combustíveis, segundo o sindicato dos postos de combustíveis.

Paralisação

Associações e o governo Federal fizeram um acordo na quinta-feira, mas a maioria dos caminhoneiros não apoiam os quesitos estabelecidos. Uma das maiores associações da categoria, a Associação Brasileira de Caminhoneiros, não concordou com o acordo. Entre os requisitos, que a Petrobras reduzirá em 10% o valor do diesel nas refinarias, sem reajuste por 15 dias.

Após o acordo não acabar com as paralisações em todos os estados, o presidente Michel Temer determinou que a Polícia Rodoviária intervenha na situação em conjunto com a Força Federal. Em caso de resistência, que ocorra prisão, e o caminhão seja retirado até pelos próprios policiais.

Nas Malhas da Lei

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *