Hypolito diz que não recebeu convocação de Comitê de Ética do COB

por Folhapress

Diego Hypolito negou que tenha recusado comparecer ao Conselho de Ética do Comitê Olímpico do Brasil (COB) para prestar depoimento sobre as acusações de abuso sexual supostamente cometidas pelo técnico Fernando de Carvalho Lopes. O ginasta afirmou não ter sido convidado pela entidade.

 

Na última sexta-feira (31), o COB absolveu o técnico de ginástica artística Marcos Goto e a Confederação Brasileira de Ginástica no caso e criticou Hypolito. A entidade afirmou que o atleta se recusou a ser ouvido pelo Conselho de Ética e chamou a atitude de “deplorável”.

 

Na nota oficial, Hypolito afirma não ter recebido qualquer contato do COB. “Causa estranheza o fato de que, mesmo estando todos os meus dados cadastrais atualizados junto ao comitê (incluindo telefone, endereço e local de treino), bem como que meus assessores e empresário sempre estiveram à inteira disposição, aquele órgão se sirva de um contato supostamente realizado via e-mail para me cientificar da realização de ato tão importante.”

 

Após Diego negar que tenha sido procurado, a reportagem conversou com o advogado Alberto Murray Neto, presidente do Conselho de Ética, que reforçou a informação de que ligou e deixou mensagens no telefone do ginasta, enviou e-mails e até cartas. Segundo ele, todas essas tentativas de comunicação estão anexadas ao processo, que não é público.

 

Neto afirma que Hypolito recebeu e-mails e cartas em 12 de julho e um telefonema dois dias depois. A audiência aconteceu no dia 19 daquele mês.

 

Confira a nota oficial de Diego Hypolito:

 

“Em vista das declarações publicadas na imprensa na última sexta0-feira em relação a absolvição do técnico Marcos Goto pelo COB. Venho à púbico afirmar que o comitê de ética do COB, diferente do que foi dito, jamais entrou em contato comigo para que eu prestasse declarações ou depoimento.

 

Alegam que essa intimação teria sido supostamente realizada via e-mail, mas ressalto que nunca recebi qualquer contato daquele órgão.

Causa estranheza o fato de que, mesmo estando todos os meus dados cadastrais atualizados junto ao Comitê (incluindo telefone, endereço e local de treino), bem como que meus assessores e empresário sempre estiveram à inteira disposição, aquele órgão se sirva de um contato supostamente realizado via e-mail para me cientificar da realização de ato tão importante.

Destaco, outrossim, que sempre colaborei com as autoridades quando convidado. Aliás, a título de curiosidade, ontem mesmo prestei depoimento junto ao Conselho de Ética do Cref/SP, na qualidade de colaborador, em processo relacionado ao mesmo caso.

O intuito dessa nota é esclarecer que, diferente do alegado, nunca fui procurado por qualquer membro vinculado ao Comitê de ética do COB, mas que, como sempre, permaneço à inteira disposição de todas as autoridades para colaborar com o desenvolvimento do esporte Brasileiro.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *