Ícone do jornalismo brasileiro, Audálio Dantas morre em São Paulo





O corpo do jornalista Audálio Dantas é velado nesta quinta-feira (31) em São Paulo. Dantas, um dos ícones do jornalismo brasileiro, tinha 88 anos e morreu após batalha contra um  câncer no intestino diagnosticado em 2015. Ele veio a óbito na tarde de quarta-feira (30) no Hospital Premier, na capital paulista, informou o G1.

Dantas foi presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo em 1975, ano do assassinato do jornalista Vladimir Herzog, morto durante o regime civil-militar [1964-1985].

Audálio foi um dos responsáveis por denunciar a tortura e morte de Herzog no DOI-CODI, aparato de tortura do regime, o que contrariava a versão oficial do governo que afirmava oficialmente de caso de suicídio.

Após presidir o sindicato de jornalistas, Dantas deixou o cargo em 1978 para se tornar deputado federal. Alagoano de Tanque D’Arca, Audálio começou a carreira jornalística em 1954, como repórter do jornal “Folha da Manhã” (atual “Folha de São Paulo”). Cinco anos depois, foi para a revista “O Cruzeiro”. Na revista de Assis Chateaubriand foi redator e chefe de reportagem. *BN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *