Iza e Gaby Amarantos cantam sucesso ‘Como Nossos Pais’

Folhapress

As cantoras Iza, 27, e Gaby Amarantos, 40, farão sua primeira apresentação juntas neste sábados (18) no palco do Criança Esperança (Globo). E para marcar o encontro, elas deverão cantar, ou melhor, “ressignificar” o clássico dos anos 1970 “Como Nossos Pais”, sucesso na voz de Elis Regina.

“É uma música que eu canto há muito tempo, em shows, barzinhos. E poder ressignificar ela em cima do palco é um presente. Vai ser um momento necessário na exibição do programa e acho que vai fazer bastante gente pensar, emocionar bastante”, disse Iza nesta sexta (17), após ensaio para o evento.

Para ela, as pessoas mudam sim, os paradigmas mudam, a gente quebra barreiras, evolui, sem deixar de aprender com as gerações anteriores. A cantora também defendeu mais discussões sobre empoderamento, sorosidade e representatividade.

“As pessoas podem até achar repetitivo, mas acho que a gente tem que falar sobre essas coisas mesmo. Tem que aproveitar essa posição, com o microfone na mão, para falar sobre as coisas que importam. Eu estou aqui para me divertir, para fazer o que amo, para pagar minhas contas, mas também para informar.”

Esta será a primeira apresentação de Iza no Criança Esperança, mas ela admite já ter acompanhado muitos shows e também feito doações, inclusive escondido da mãe. Já na hora de citar uma apresentação marcante, responde rápido: Sandy e Júnior, recordando até as roupas dos irmãos em um desses shows.

Parceira de Iza na apresentação desse sábado, Gaby também se emocionou ao falar da canção escolhida para elas e recordou sua mobilização na campanha das Diretas Já!, que pedia voto direto para presidente, no anos 1980.

“Na época das Diretas Já, eu estava no meio da rua protestando e a polícia jogou spray de pimenta. Eu e meus colegas nos olhamos e começamos a cantar: ‘Por isso, cuidado meu bem, há perigo na esquina’. E os policiais viram que estavam batendo em estudante”, contou a cantora.

PARA AS CRIANÇAS
O diretor artítico do evento, Rafael Dragaud, também comentou a escolha de “Como Nossos Pais” para o programa e disse que é uma homenagem ao que as mulheres vêm fazendo nos últimos anos. “Quando elas falam ‘agora é nossa vez’ eu torço para que seja mesmo, porque os caras não deram certo”, afirma.

Trabalhando no programa desde novembro do ano passado, Dragaud diz que o Criança Esperança vai falar sobre os velhos problemas que aparecem hoje com faces novas, destacando que racismo e violência contra a mulher já existiam, mas destacado a vereadora Marielle Franco como um novo símbolo disso.

E esses são assuntos para discutir no Criança Esperança?, questiona o próprio diretor artítico do programa. “Sim, a criança está neste mundo. “Se o Rei Leão fala sobre a morte, a gente tem que falar de política, criar as crianças com uma nova percepção sobre feminicídio, tentar reduzir o machismo estrutural.”

APRESENTADORES 
Como nos anos anteriores, o o show deste sábado  terá um batalhão de artistas se apresentando e falando sobre temas relevantes para o país. Além de Iza e Gaby Amarantos, devem passar pelo palco Ivete Sangado, Emilio Dantas, Mumuzinho, Wesley Safadão, Milton Nascimento, Djavan, entre outros.

Já na apresentação, a novidade são três novos reforços -Camila Pitanga, Jonathan Azevedo e Fernanda Gentil- se unindo a  Leandra Leal, Dira Paes, Lázaro Ramos e Flavio Canto, que já comandam a festa desde 2015. Para Dragaud, um avanço na diversidade do programa e, assim, na mensagem que passa. “As vezes, temos textos feitos a quatro, oito, 16 mãos”, diz.

A campanha deste ano conta com outros 23 mobilizadores, que também têm atuado nos filmes para a TV e na visita às instituições.  Nos telefone para atender os doadores estarão mais de 170 artistas, como Ana Paula Araújo, Marcio Garcia, Otaviano Costa, Sandra Annenberg, Fátima Bernardes e Regina Casé.

Em 33 anos, o Criança Esperança arrecadou mais de R$ 350 milhões em doações para mais de 5.000 projetos sociais, acompanhados pela Unesco -que participa do atendimento em parceria com a Globo. Segundo a emissora, mais de 4 milhões de crianças e adolescentes foram beneficiados em todo país. *BN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *