Nutricionistas dão dicas de como preparar uma merenda escolar saudável para os filhos

Nada de bolacha recheada ou salga­dinhos fritos. O lanche escolar deve ser fonte de nutrientes, e não servir só para matar a fome dos pequenos. Para cui­dar da lancheira, é preciso tempo. Além disso, especialistas destacam a importância de conhecer o gosto da criança.

A primeira coisa a fazer é se planejar para comprar os produtos com antece­dência. Frutas e verduras devem estar sempre frescos e bem conservados. Pa­ra ser considerada ideal, a lancheira precisa ter todos os gru­pos alimentares, como explica a nutricionis­ta Ariane Bomgosto.

“Os macronu­trientes são funda­mentais na refeição da criança”, explica Ariane. “São eles: proteínas, carboidra­tos e gorduras saudáveis. Os carboidra­tos dão energia ao corpo; a proteína faz a regeneração de pele, cabelo e unhas; e as gorduras auxiliam no crescimento saudável”, acrescenta. “Mas é impor­tante frisar que não é qualquer gordura, tem de ser a saudável.”

A gordura que não é saudável pode contribuir para a obesidade infantil e está presente em bolachas recheadas, frituras e salgadinhos, por exemplo. “A gordura sau­dável é aquela contida na água de coco e em amendoins e castanhas, que agradam ao pala­dar infantil”, afirma Ariane.

Mesmo o amendoim deve conter pouco sal e não pode ter co­bertura de cho­colate. “O amen­doim é bom exemplo, mas deve ser o simples, com pouco sal, sem pele, torrado. Aqueles com chocolate e casquinha não são in­dicados”, diz Cyntia Maureen, nutricio­nista e consultora da rede Superbom.

Além dos macronutrientes, os micro­nutrientes, que são as vitaminas e os minerais, também devem estar ali. “To­mates e cenouras pequenos costumam fazer sucesso e são fáceis de acomodar na lancheira”, explica Ariane.

A gestora de projetos Anna Carolina Bruschetta, 37, conta que sempre se preocupou com a alimentação do fi­lho, José Paulo Gragnamello, de seis anos. O menino vai para a escola desde os seis meses e, em geral, ela e o marido costumam preparar o que ele leva para o lanche, como biscoitos integrais e bolo de cenoura integral.

“Falo com as mães da turma e já mando os biscoitos integrais para todo o mundo”, diz Anna. Ariane Bomgosto sugere uma lan­cheira ideal: lanche de pão integral com patê de alguma proteína e verdura, além de frutas, água de coco e casta­nhas. “É possível variar a proteína e co­locar ovos de codorna para substituir.”

Conhecer as preferências da criança também é importante. “Se ela não gos­ta de frutas, escolha as mais doces e acrescente um pouco de mel, assim o paladar vai se acostumando. Aos pou­cos, então, diminua, até zerar, a quanti­dade do mel”, diz Ariane.

“Tem criança que aceita bem peixe, mas não gosta de carne. Não precisa forçar, acostume o paladar dela aos poucos.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *